Após da morte de São João Eudes, a congregação continuou seu desenvolvimento. Perto da Revolução Francesa, os Eudistas orientavam quize seminaristas junto com alguns colégios e paroquias. A Revolução em 1792 fechou as casas de formação e dispersou aos padres. Quatro deles representados pelo padre Francisco Luis Hérbert, superior geral, foram martirizados em París. A Igreja beatificou-os em 1926.

http://portal.cjm.org:8089/images/la_fundacion.jpgA Congregação reconstrói-se tardiamente (1826) e com grande dificuldade, ao redor de um dos antigos membros, o reverendo padre Blanchard. Os Eudistas se dedicaram principalmente à tarefa da educação cristã nos colégios. Depois de 1883, a fundação de vários seminários na Colômbia permitiu-lhes reiniciar a obra tradicional da comunidade. Em 1890 se estabeleceram no Canada.

No ano de 1984 a congregação estava presente em oito países através das quatro províncias: a província da França (França, Costa de Marfim, Benin); a provincia da Colômbia (Colômbia, Equador e República Dominicana); a província de América do Norte (Canadá e os Estados Unidos) e a província da Venezuela. Na atualidade, a congregação está presente em vários países, com seus membros assignados a cinco províncias e uma vice província: a província da França, a Província da Colômbia (Brasil, Colômbia, Equador, Honduras, México e República Dominicana), a Província “Minuto de Dios” (Província não territorial dedicada às obras da organização Minuto de Dios e outras missões na Nicarágua e o Peru), a Província da América do Norte (Canadá, Estados Unidos e Filipinas), a Província da Venezuela, e a vice província da África (Costa de Marfim, Benin e Togo).

 

Tradução C. I. Rochereau